segunda-feira, fevereiro 21

[Resenha] Pais Brilhantes, Professores Fascinantes (Augusto Cury)

Não há coisa mais linda, mais poética, do que pais serem grandes amigos dos seus filhos.

Sempre evitei os livros de auto-ajuda porque imaginava Não vou ler coisas que até eu poderia dizer a alguém. Chegou um ponto, porém, em que essa independência de conselhos se tornou tão fria e irracional, que decidi ler a que vieram. E por que não começar com um Augusto Cury?
Comprei um exemplar de Pais Brilhantes, Professores Fascinantes para o meu pai, em agosto do ano passado. Naturalmente, o livro permanecia intocado até novembro/2010, quando comecei a lê-lo. Ele tem um ritmo rápido e constitui uma leitura deliciosa: a sensação  que se tem é como a do primeiro copo d'água em um instante de sede, as palavras vão entrando em você e te preenchendo até a plenitude surgir.

Alguns pontos me encheram os olhos e fiquei pensando... Por que ninguém mais lembra disso? São coisas tão simples e delicadas, hábitos fáceis de manter e que, possivelmente por esta razão, ninguém mais valoriza. Espero ser uma educadora fascinante, para os gêmeos.

Educar não é repetir palavras, é criar ideias, é encantar.

Pais Brilhantes, Professores Fascinantes é um livro sobre educação e amor em família - a família que está em casa e família que criamos na escola. Não é destinado apenas a professores ou apenas a pais: todos podem utilizar as técnicas propostas para se ajudar mutuamente, inclusive entre amigos.

Claro, sempre pressupondo que você
não tenha a vida perfeita. Se tiver a vida que pediu a Deus, as companhias que ama, o trabalho dos seus sonhos e vive sorrindo o dia todo, se não deseja mudar nada, NADINHA mesmo, no seu cotidiano, porque está tudo perfeito e equilibrado, se não se questiona sobre como as coisas seriam de outra forma... fique à vontade para ler outras coisas e, por favor, ensine a nós o segredo da felicidade.

O livro fala do resgate de valores e não posso deixar de acrescentar princípios de um tempo em que a gente não deixava a mesa para comer em frente à TV, um tempo em que a falta de luz era uma festa porque tínhamos prazer em fazer sessões de contadores, no escuro, e ouvir histórias antigas dos pais. Acredito que as únicas pessoas que ainda sentem prazer nessas incríveis coisas pequenas da vida são as que terão mais delas a contar.

Este livro traz os hábitos de bons pais e educadores vs. pais e educadores brilhantes.
Mostra a importância de coisas como deixar os filhos conhecerem a sua história; nutrir a personalidade deles com valores; ensiná-los a pensar em seu comportamento; em vez de apontar erros; prepará-los para as falhas; dialogar como amigos; contar histórias e definir limites e a hora de dizer "não". Coisas simples e que estabelecem bases fortes. Porque errar é humano, mas o importante é saber o que fazer com os erros.

Ele nos mostra como os professores podem transformar o saber em experiência, para consolidar as informações despejadas sobre as mentes dos alunos; como estimular o raciocínio e procurar respostas incomuns e como atrair a atenção dos dispersos para a aula.



Bons professores falam com a voz, professores fascinantes falam com os olhos.

Fala sobre a importância de educar para a vida, trabalhar o conhecimento, a experiência e a sensibilidade, educar a emoção, usar bem a memória (não como repetidora, mas  como processadora criativa, o que é semelhante a estimulá-lo a ler mais do que ver TV); mostra a valia de se formar pensadores e não repetidores, bem como resolver conflitos com inteligência.


Só não muda de ideia quem não é capaz de produzi-la.

Explica a importância de pensar antes de agir; não temer o medo; ser líder e dono de si, autor de sua história; filtrar estímulos visuais e auditivos; trabalhar as contradições; ser fiel à consciência e comprazer-se com as pequenas coisas; saber perder e arriscar para alcançar; ter coragem para enfrentar o desconhecido.


Aonde chegamos depende do quanto libertamos a arte de pensar.

Particularmente, uma das mensagens que mais mexeram comigo foi sobre a análise que o doutor Augusto fez de Cristo e das razões por Ele ter sido tão grande mestre: "Nunca alguém tão grande se fez tão pequeno para fazer grandes os pequenos".


A punição só é útil quando é inteligente.

Augusto menciona as táticas que podem evitar grandes desastres na educação, tais quais: não corrigir publicamente, exercer a autoridade com inteligência e não com brutalidade, não exagerar nas críticas, jamais punir em meio à raiva e não desistir de ensinar; cumprir as promessas que VOCÊ fez e jamais destruir o sonho ou a esperança de alguém. Acrescento: você não sabe se é o último sonho, alimente-o, não o destrua.


Não devemos ter medo de perder nossa autoridade, mas de perder nossos filhos.

Vemos no livro os 5 papéis da memória, em relação aos tipos de registro que fazemos, e a importância de uma educação de qualidade, que saia dos métodos antigos, mas venha com a música, o diálogo, as cadeiras dispostas em círculo, os questionamentos, contar histórias, humanizar mestres e assuntos, elogiar antes de criticar e engajamento em projetos sociais desde cedo.

Particularmente, recomendo bastante este livro, para todos os públicos, porque é brilhante!




Título: Pais Brilhantes, Professores Fascinantes
Autor: Augusto Cury
Editora: Sextante
Ano de publicação: 2003
Número de páginas: 171


COMENTÁRIOS ANTERIORES
O Antagonista disse...
O texto é maravilhoso... quando for pai, um dia, tentarei lembrar dessas sábias palavras. Abraços.

5 Comentários:

Rodrigo Dutra Leal disse...

Eu tenho este livro, entre outros do Augusto Cury e posso dizer, que este livro é extremamente indispensável à todas as famílias. Hoje tenho um modo de pensar totalmente diferente após a leitura desta obra brilhante.

Recomendo a todos de coração.

★★ GIZA ★★ disse...

olá
adorei seu blog e estou seguindo
me segue de volta?
www.amorimortall.blogspot.com
beijos

This Gomez disse...

@Rodrigo: de fato, é um dos melhores que li e aprendi muito *.*

@Giza: Já adicionada, querida, adorei seu blog também ^^

Paloma Costa disse...

Gosto de escritor, suas palavras me encantam e espero que não seja diferente com esse livro. Adorei sua resenha!

O Vazio na Flor disse...

Augusto Cury tem um poder inimaginavel de nos fazer enxergar as verdades que a vida traz né?
Hoje, depois de ter lido muitos livros dele, o melhor pra mim, é o Vendedor de Sonhos..Adorei a história!
Mas tbém aprecio o fato dele sempre falar sobre Jesus e seus ensinamentos. Talvez esse seja o fator x do sucesso dos livros dele.
Sem fé, nada pode ser feito.
Resenha impecavel de um livro que tem que ser lido diariamente...
Parabens

Postar um comentário

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...